Recaída – Uma queda livre de um prédio de 20 andares

Nenhum relacionamento acaba de uma hora para outra. Mesmo quando duas pessoas não estão satisfeitas, sempre há uma que ainda guarda a esperança de resgatar os melhores momentos, ou simplesmente sente mais falta do olhar, do toque, do beijo ou seja lá o que for. E em grande parte das vezes sempre há um lado que sai muito, muito mais machucado que o outro.

Casais que namoram por mais tempo, normalmente entram no efeito sanfona do sentimento. É um vai e vem que tortura. Um movimento desesperado que na maioria das vezes está fadado ao fracasso.

Sentimentos de rejeição, orgulho ferido e teimosia ocasionalmente podem ser confundidos com amor. Nem sempre é um engano. Pode ser que a pessoa ame de verdade, mas entramos em outro conceito a ser pensado.

Quais ações nos levam a amar uma pessoa? Essa fórmula cheia de variáveis, que tem seus componentes expostos a fatores externos e internos, nunca é a mesma. Inegavelmente, antes de um rompimento, todos os componentes dessa exclusiva e complexa fórmula já mudaram suas estruturas moleculares.

Então, o que faz nos sentirmos atados a esse outro ser de maneira tal que sentimos que nunca mais seremos felizes? Finais de relacionamentos são como os dementadores de Harry Potter. Eles sugam toda a felicidade, sobrando só um trapo de gente. Só um ser que rasteja entre lembranças que não pode mais alcançar.

 Se um relacionamento acaba, é porque já não estava bom. Você pode dizer “Para mim estava”, ou a afirmação que me deixa mais perplexa “estava tudo bem e de repente…”. NÃO, não estava! Por que ficamos cegos para negar o fim de uma relação? Por que não lemos os sinais? Sim, os sinais sempre existem. Nós só os negamos, camuflamos e enterramos embaixo da terra repleta de justificativas e chantagens emocionais.

O amor é uma via de mão dupla. É uma negociação de troca em que ambos precisam se sentir plenos, felizes, em crescimento. Infelizmente, se em algum momento seu parceiro deixou de se sentir assim, você foi cego ou egoísta o suficiente para pensar só nos seus sentimentos.

Na verdade, quando rola uma química entre duas pessoas, nem sempre é preciso ter tido um relacionamento de fato para que depois de terminado, ainda aconteçam as famosas recaídas.

Já fui sofredora e já fiz sofrer. Em nenhum dos dois casos, o fiz por querer. Então vai aí uma série de conclusões tiradas depois de relações terminadas, que me ajudam a enxergar com mais clareza o que se passa, e não cair na armadilha das recaídas.

PREGUIÇA

A recaída pode ser uma preguiça emocional. Porque concordam que conquistar dá trabalho? Você dá o seu melhor. Mostra seus melhores atributos intelectuais, físicos e emocionais. Um dia você conquista, e que atire a primeira pedra quem não relaxa a guarda. Relaxamos sim, é inevitável! Ninguém consegue ser o seu melhor o tempo todo… Mas aí eu tenho que fazer isso tudo de novo para conquistar outra pessoa? O conformismo acaba sendo maior do que a coragem de enfrentar um novo desafio.

INSEGURANÇA

Eu dei o meu melhor e ele ou ela me rejeitou mesmo assim? Eu sou uma merda mesmo! Quem vai querer uma pessoa tão feia? Eu não tenho dinheiro, eu não tenho sucesso profissional, meu papo é chato, enfim… nos afogamos em auto crítica sem nos darmos conta que o que nos deu a possibilidade de conquistar a outra pessoa foram as qualidades, que muitas, mas muitas outras pessoas querem, desejam e admiram. Mas adquirir essa segurança de novo, com outra pessoa, não é fácil.

MEDO

A insegurança anda de mão dada com o medo. O medo de nunca mais sentir o mesmo. De não se encantar por mais ninguém. De não encantar ninguém. O medo de encantar e ser encantado e depois morrer na praia. Medo do fracasso. Da desilusão.

SOFRIMENTO

A educação judaico cristã que fomos submetidos durante a vida, nos fez acreditar que o sofrimento nos leva a purificação. A verdade é que o ser humano gosta de sofrer. No auge da tristeza procurar aquela música que te faz chorar, não ajuda em nada. Através do sofrimento nos tornamos os mártires da história e a culpa sempre recai na pessoa que resolveu dar um basta em tudo.

Recaídas são quedas livres de um prédio de 20 andares. É uma tentativa desesperada de ficar atrelado aos melhores momentos, que já não existem mais. É segurar uma linha que vai para um abismo. Por isso pessoas, o melhor que temos a fazer, é bater a poeira, fazer o seu melhor em frente ao espelho e partir pro mundo. O mundo que te espera com milhões de possibilidades que você nem imagina.

 Não é porque algo bom acabou, que um melhor não pode vir.

Anúncios

Um pensamento sobre “Recaída – Uma queda livre de um prédio de 20 andares

Seja você uma parte desse mosaico. Compartilhe suas impressões, sentimentos e opiniões aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s