Kobra – Uma fera da pintura

Av. Prof. Manoel Chaves, 291, próximo a Ponte da Cidade Universitária.

Aos 12 anos de idade, Eduardo Kobra gastava seus trocados comprando sprays para pichar os muros da escola, da cidade e do seu bairro, Campo Limpo. Foi detido algumas vezes por conta disso, inclusive em um dia do jogo do Brasil, já com cerca de 15 anos. Nesta época, painéis de grafite já tinham tomado o lugar de letras rabiscadas e pichações sem sentido. Como não tinha autorização legal para pintar sua obra no túnel próximo ao Ibirapuera, ele e seus amigos foram levados à delegacia onde ficaram em pé, encostados em uma parede, sem água e sem comida, por cerca de doze horas. Segundo ele o delegado dissera que caso o Brasil perdesse o jogo, eles não teriam hora para sair dali. Como o Brasil ganhou, eles foram embora sem maiores problemas… Nasceu corinthiano, mas deixou de gostar de futebol após subir em um ônibus cheio de torcedores de seu próprio time e apanhar por estar com uma camiseta vermelha e branca e ser confundido com um são paulino.

A história dele, que pode ser confundida com a de vários outros cidadãos comuns dessa metrópole que é tão assustadora quanto instigante, não fez com que ele desistisse do que mais gostava de fazer. Num país onde a cultura é deixada em segundo plano, aulas de artes são significados de aulas vagas e talento não conta com a sociedade para potencializá-lo, ele se destacou e cresceu profissionalmente por conta própria.

Por volta de 2005, caiu em suas mãos um livro com fotos antigas do porto de Santos. Pintou então um painel na Avenida Sumaré em um muro, hoje inexistente que deu lugar a uma loja. A partir daí, ele criou um projeto chamado Muros da Memória, onde resgata a história, o romantismo e a calma das ruas de São Paulo que hoje caminhamos freneticamente.

“Estivadores no Porto de Santos”
Avenida Sumaré – o muro foi derrubado e deu lugar a uma imensa vitrine de loja

Em 2009, no auge da discussão sobre o projeto Cidade Limpa, Kobra conseguiu autorização para pintar, com subsídios próprios e de sua equipe, o maior mural feito por ele na cidade de São Paulo, na Av. 23 de maio. São incríveis 1.000 m2 de perspectiva, luz, sombra e de pura arte genuína.

“são incríveis 1.000 m2 de perspectiva, luz, sombra e de pura arte genuína”

Além dos Muros da Memória, também presenteia a cidade com outros murais ricos em detalhes, como o lindíssimo Casa Colorida “Vintage” com temas circenses na Vila Madalena, o  Mural Alex Vallauri, no muro da Igreja do Calvário, em Pinheiros e inúmeros outros.

Casa Colorida Vintage. Vila Madalena

Greenpincel é outro projeto desenvolvido por ele, onde busca através de sua arte, alertar e conscientizar o mundo das agressões contra o planeta e contra a própria humanidade. Em Atenas, sua magnífica obra “Evolução Desumana” desencadeou uma represália de religiosos locais que consideraram um insulto, por retratar entre outras coisas, a teoria de Darwin.

Suas telas também ofereceram a ele a oportunidade de ser reconhecido internacionalmente. Por seu espírito criativo e curioso, procura sempre inovar em temas e técnicas.

“Escadaria”
Técnica mista

Sua equipe é a única no Brasil a desenvolver a pintura 3D, tão admirada pelo público. A pintura distorcida que vista pelo ângulo correto, oferece uma cena tridimensional, muito realista e que na opinião de Eduardo Kobra, é recompensador fazê-la por haver tanta interação entre o público e a obra.

Espero que ainda possamos acompanhá-lo por muito tempo e que o exemplo dele sirva de inspiração para tantos talentos escondidos, para pais e professores atentarem a importância de incentivo e orientação e para a sociedade, que está sedenta e necessita da arte, história e consciência que ele nos oferece através do seu trabalho. Desejo ainda, que por mais que ele tenha o mérito de ser reconhecido internacionalmente, que seja valorizado aqui, como artista e cidadão que faz a sua parte.

Anúncios

7 pensamentos sobre “Kobra – Uma fera da pintura

    • Pelo que eu vi, há na Praça do Patriarca a obra que está ilustradando o blog e um carro antigo. Fez outras na Esplanada dos Ministérios e no Rio de Janeiro. Além de trabalhos desenvolvidos para empresas como a Coca-cola e Sansung e também para divulgação em programas como do Faustão e Eliana. Mas os Muros da Memória estão distribuídos em toda a cidade.

      • Admiro sempre qd passo pela 23 de maio as pinturas antigas. Pena que é sp “ao relance” pq estou de carro. Valeu Ceres Arantes essa divulgação. Aprendi sobre o autor delas e quero conhecer mais. Obrigada, seu texto está ótimo!!!! Bjs

Seja você uma parte desse mosaico. Compartilhe suas impressões, sentimentos e opiniões aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s